Viajar Barato Pelo Mundo: O Que é Um Hostel e Como Funciona

 

Algumas pessoas se perguntam como é possível viajar barato para o exterior, pelo menos duas vezes ao ano, já que o custo para manter este padrão de vida é muito elevado.

Não vamos negar que você precisa de dinheiro para viajar, mas será que você precisa de tanto dinheiro assim?

Isso é o que nós vamos jogar por terra, hoje.

Talvez a resposta para esta pergunta não esteja relacionada ao dinheiro, mas sim às suas prioridades. Basta pensar em como você planejaria uma viagem.

Para muitas pessoas, viajar significa ficar em hotéis caros ou resorts, fazer os passeios turísticos mais extravagantes e comer em restaurantes tradicionalmente turísticos.

Este é o padrão que vemos em muitas viagens. Felizmente, nem toda viagem precisa desses luxos para acontecer.

Para se tornar um viajante constante, você precisará abdicar de vários desses costumes tradicionais.

Porém, apontar um corte aqui e outro ali é muito fácil… quero ver é dar a solução!

E é exatamente isso que você vai ter nessa série de artigos sobre como viajar barato.

 

VIAJAR BARATO, CUSTA CARO?

A sua hospedagem não precisa ser em um hotel 5 estrelas. #FATO

Este é o principal assunto que iremos discorrer ao longo deste artigo: a sua hospedagem.

Suas desculpas de não viajar, nunca mais terão fundamento após essa leitura.

“Mas se hospedar em qualquer viagem custa caro!”

Será mesmo?!

Pode até ser.

De fato, a hospedagem é um dos itens que mais irão minar as suas economias durante qualquer viagem, mas há meios de se hospedar gastando bem menos do que você gastaria pelos métodos tradicionais.

Neste artigo eu vou te dar algumas opções para se hospedar com muita economia, gastando muuuito pouco; e que funciona praticamente em qualquer canto do mundo.

Excelente opção para quando quiser viajar por países caros, como alguns da Europa por exemplo.

Curtiu? Já está imaginando a sua próxima viagem?!

Então vamos logo ao que interessa.

 

HOSPEDAGEM ECONÔMICA

Hoje em dia existem vários sites especializados que te permitem procurar hostels, hotéis, apartamentos de outras pessoas, casas de família, etc., por um preço bem acessível para passar alguns dias.

A seguir, eu vou te dar uma lista dos melhores sites onde fazer essas pesquisas.

Dá até para “alugar” um sofá na casa de uma pessoa disposta a te receber, sem pagar nada por isso. Sério.

Tudo bem vai… nem sempre vai ser só um sofá mesmo!

Às vezes pode ser um sofá-cama, uma cama, ou até mesmo um quarto só para você.

Mas por enquanto, vamos começar do começo.

 

Uma das maneiras mais econômicas de se hospedar quando estiver viajando, é ficar em um Hostel.

A primeira vez que ouvi falar disso eu fiquei horrorizado. Já vou explicar.

 

HOSPEDAGEM EM HOSTELS

Eu me lembro que ficava passando pela minha cabeça que eu nunca ficaria num lugar desses, que era muito estranho pra mim, ficar no meio de pessoas desconhecidas, sem privacidade, sem segurança, etc.

Mas um belo dia eu me dei a chance de experimentar e tudo que eu posso te dizer agora é “Por que raaaios eu não ooouviii falaaar disso aaanteees! Aaaaarrgggggg!”

Até agora foram 2 experiências, uma no Rio, outra em São Paulo.

E você? Já tinha ouvido falar em hostels antes?

Sabe como é um? Já dormiu em algum?

Os mochileiros e quem costumam viajar sozinhos já devem estar acostumados a este tipo de hospedagem, mas se você não é do tipo que costuma colocar uma mochila nas costas e sair por aí perambulando viajando mundo afora, não se preocupe.

 

Hoje em dia há bastante variedade de hostels, para todos os tipos e gostos.

Não se deixe enganar.

Embora sejam menos comuns, é perfeitamente possível encontrar bons hostels para quem viaja em casal, para quem viaja em turma, para quem não se considera mais tão jovem e até pra quem tem crianças.

Se você já sabe o que são os hostels e já conhece os vários benefícios de se hospedar em um, continue lendo pois durante essa série eu vou compartilhar, também, as dicas de como se hospedar de graça e tornar a sua viagem ainda mais econômica.

 

Os hostels ou albergues quase sempre são bem mais baratos que um hotel.

No entanto, muitas pessoas que não conhecem bem o que é um hostel, ficam intimidadas e receosas de ficar em um hostel pela primeira vez, e aí acabam pagando diárias mais caras para dormir num hotel.

E normalmente, essa é a primeira opção que vem à mente quando se pensa em viajar: se hospedar em um Hotel.

Mas hotéis são caros, não??!

Bom, pelo menos é o que a maioria das pessoas ainda pensa no Brasil e talvez por isso elas não viajem tanto.

Pra mim, além de caros, Hotéis costumam ser chatos e monótonos.

Mas felizmente, você não precisa ficar em um Hotel toda vez que quiser viajar. Há várias outras opções, mais divertidas, com experiências mais enriquecedoras e… principalmente, mais baratas!

Pensando nisso, aqui vai uma série de dicas para você se aventurar e conhecer as vantagens dos hostels e outras modalidades super econômicas de hospedagem.

O QUE É UM HOSTEL?
hostel

Vamos começar com o básico: o que é um hostel afinal de contas?

 

Quais são as diferenças entre um hostel e um hotel normal?

A primeira diferença e a mais visível de todas é uma letra “S” no meio da palavra.. ops, não! Haha, #tôbrincando.

QUARTOS

A primeira diferença fundamental é o quarto: no hotel você fica em um quarto privado, individual, de casal ou apenas para quem está viajando com você.

Já no hostel, os quartos são compartilhados com desconhecidos, estilo um alojamento. Você aluga a cama, não o quarto. (Até dá para alugar um quarto, vou falar sobre isso mais adiante.)

Eles podem ser apenas masculinos, apenas femininos ou mistos (homens e mulheres no mesmo quarto).

 

BANHEIROS

Seu quarto de hotel é uma suíte, só usa o banheiro quem está com você naquele quarto.

Já no hostel, os banheiros são compartilhados.

Pode ser um banheiro por andar, com várias cabines, pias e chuveiros para todos os hóspedes ou um banheiro simples para cada quarto.

 

COZINHA

Os hostels também costumam ter uma cozinha comunitária, enquanto os hotéis não têm cozinha nenhuma disponível, apenas o frigobar (onde cada item pode lhe custar o olho da cara).

Todos eles têm algum tipo de espaço de convivência e a cozinha é sempre um ponto de encontro! LOL

 

ÁREA DE CONVIVÊNCIA

A convivência entre os hóspedes nas áreas comuns é um dos maiores atrativos dos hostels.

Outras áreas comunitárias que podem existir nos dois são: bar, sala de televisão, sala de jogos, entre outros.

 

Tá aí uma enorme vantagem de se hospedar em hostels: poder cozinhar.

Você mesmo pode cozinhar sua própria comida, já que a cozinha dos hostels costuma contar com pelo menos um fogão e uma geladeira (normalmente). Pergunte antes de fechar a hospedagem, para ter certeza.

Outros eletroportáteis também são comuns, como forno microondas, misteira, liquidificador, etc. Itens básicos.

 

Quando em um hostel, a economia com a alimentação pode reduzir drasticamente os gastos da sua viagem.

É bem prático caminhar nos arredores do hostel e encontrar um supermercado, onde você poderá comprar algumas coisas para fazer o seu próprio lanche. Seja pães, biscoitos, legumes, carnes, etc. E de quebra, você ainda conhece mais da atmosfera urbana do lugar, tendo que se comportar como um nativo daquela região.

Pense.

Se você estivesse em um hotel, provavelmente as suas opções seriam descer até o restaurante do hotel e pagar uns R$40 pelo prato executivo de comida, ou então ir na rua e se empanturrar de um fast food não tão saudável, e nem tão barato.

 

Mas se você não tem as habilidades de um participante do MasterChef… Calma.

Se você não sabe cozinhar, nem tudo está perdido. Há outros truques que você pode arriscar.

Se você é jovem, está viajando sozinho e se importa mais com a viagem do que com o que você está comendo, você pode facilmente apelar para alimentos de preparo rápido e fácil, como cozinhar ovos, fazer uma salda, fazer uma macarronada rápida, fazer misto quente ou um simples pãozinho de sal com margarina; e, em último caso, apelar para o maior dos salva vidas: o miojo.

Se você estiver viajando com crianças, provavelmente já deve saber cozinhar alguma coisa.

Se você está viajando em casal, um dos dois provavelmente irá dar conta do recado.

 

Seja criativo e inteligente, a cozinha também é lugar para novas amizades!

As outras pessoas que estarão no mesmo hostel que você, também precisam se alimentar.

Converse com elas e procure descobrir quais são os planos para aquele dia. Vocês podem se aventurar juntos no preparo de uma refeição, ou você pode simplesmente contribuir com algum dos ingredientes que você trouxe do mercado, para que a pessoa cozinhe e a comida possa ser compartilhada entre vocês. Que tal?

 

Eu por exemplo não sei cozinhar, mas nunca passei fome em um Hostel.

Sou de Minas e a minha segunda experiência em hostel foi em São Paulo, quando tive que me hospedar por 14 dias à espera de um evento.

Nunca me dei bem na cozinha, mas fiz amizade com algumas pessoas que passaram pelo hostel nesse período e uma delas foi o Alysson, de Manaus, que também estava em SP pelos seus motivos.

Eu não sabia cozinhar, mas o Alysson sabia. Pronto, problema temporariamente resolvido.

 

Todo dia na hora do almoço ele fazia um arroz delicioso, com legumes, feijão, etc. Eu sempre contribuía com alguma verdura, temperos, ou com a Coca-Cola gelada que eles tanto gostavam. E assim, “todo mundo” terminava o dia com o pandú cheio.

Além disso, eu tinha uma caixa de leite na geladeira, pão francês na despensa, presunto, mussarela, frutas, achocolatado, etc. Tudo etiquetado com o meu nome, assim como todas as outras coisas que estavam na cozinha, pertencente aos outros hóspedes.

 

Nunca tive nada aberto ou furtado, pelo contrário.

Ganhei coisas de quem estava deixando o hostel (como suco de caixinha, frutas, presunto, etc) e deixei coisas quando chegou a minha hora de partir.

É engraçado que… o sentimento de compartilhar é algo que vai crescendo naturalmente dentro de você à medida que os dias vão passando no hostel. Paralelo à isso, um sentimento de gratidão toma conta a cada partida; seja sua, ou de algum hóspede que se tornou seu amigo por uns dias – ou até pra vida toda.

 

É muito difícil descrever a vibe de se hospedar em um hostel e fazer amizade com pessoas de outros países, mesmo sem saber falar a língua deles.

Jogar baralho, dividir a mesa no café da manhã, compartilhar a cozinha e suas refeições… provavelmente nada disso seria possível se você estivesse enajulado hospedado num cubículo e silencioso quarto de hotel.

Portanto… só experimentando pra você saber!

 

Uma diferença fundamental: as diárias dos hostels/albergues normalmente são bem mais baratas do que as dos hotéis.

Você pode até pagar um pouco mais nos hostels e alugar um quarto privativo ou fechar um quarto comunitário apenas para o seu grupo de viagem, mas, em geral, ainda assim sai mais em conta do que ficar num hotel.

Pra você ter uma ideia, quando em SP, eu escolhi ficar no maior quarto do hostel, o que tinha mais beliches disponíveis e obviamente o mais barato: eram 11 beliches.

Eu tinha dinheiro e condições de sobra de estar hospedado em um hotel, talvez no mesmo onde meus amigos (que participariam do mesmo evento) estavam hospedados. Mas enquanto eles pagavam uma diária aproximada de 150,00 reais durante alguns dias, eu pagava apenas 35,00 a diária do hostel em que fiquei.

Se eu me arrependo? Nem um pouco!

E das próximas vezes continuarei buscando os hostels e pousadas antes de tentar qualquer hotel.

Consegue perceber a economia da minha viagem? Não é preciso ser nenhum gênio pra entender a diferença…

 

A primeira vez a gente nunca esquece.

Me encantei pelos hostels depois que passei uma semana em Copacabana, no Rio. Foi quando me hospedei pela primeira vez em um hostel, pagando apenas R$40,00 a diária. Dá pra acreditar?

Pelo que eu via e ouvia falar dos preços de hospedagens em Copacabana, nunca pensei que pudesse me hospedar por lá pagando menos de 150,00 pela diária.

Pois fiquei. Vários dias. Pagando menos de um terço disso.

Incrível não é?!

Me apaixonei por este tipo de hospedagem e você deveria experimentar também, em sua próxima viagem.

 

Porém, gosto é gosto e gosto não se discute.

Por isso, vá e experimente!

Geralmente o hotel proporciona uma maior tranquilidade e comodidade para as pessoas; não que o albergue não proporcione, mas não é muito o padrão.

Você sempre terá muito mais privacidade em um hotel, mas tudo tem o seu preço e você também terá que pagar por essa vantagem.

 

Ah, e eu também queria frisar que os hostels, também conhecido como albergues por algumas pessoas, não tem nada haver com o filme “O Albergue”, aquilo é pura ficção.

 

 

HOTEL x HOSTEL

Resumindo…

Como é se hospedar em um HOTEL

  • Geralmente os hotéis lhe proporcionam todo o conforto possível
  • Os quartos possuem boas acomodações e banheiro com água quente e fria
  • É fácil de encontrar um frigobar no quarto
  • Nos hotéis também há o serviço de quarto em que a camareira vai lá e deixa tudo arrumadinho enquanto você conhece a cidade
  • Boa parte dos hotéis servem apenas o café da manhã, que é bem farto, alguns oferecem almoço e jantar porém é mais difícil e quando há esse serviço é mais caro
  • Eles prezam também na qualidade do serviço a informação ao turista, chamam táxi, dão dicas, mas fique atento, alguns cobram por isso
  • O hotel é um tipo de hospedagem bem individual, pois é bem mais difícil, porém não impossível de você interagir com seu vizinho de quarto
  • Privacidade, segurança e silêncio são os pontos fortes

Sempre faço essa analogia: pra mim, hotéis são como aqueles bairros de gente rica, onde mal mal você vê o seu vizinho entrar ou sair e vocês nunca trocaram nada além de um balanço de cabeça, no estilo de quem quer dizer um “Opa vizinho, beleza?”. Ninguém pára pra te dar papo na rua, os portões eletrônicos se abrem e se fecham rapidamente. Nada mais além disso.

Há quem goste, mas eu prefiro os hostels, os quais eu costumo fazer analogia ao seu bairro de infância, onde você conhecia meia vizinhança, sabia o apelido de todo mundo, tinha vários amigos e adorava passar o tempo com eles na rua, jogando queimada, derruba lata ou pique-bandeirinha.

No fim do dia você sabia tudo da vida deles e eles sabiam tudo da sua. LOL

 

Resumindo…

Como é se hospedar em um HOSTEL

O hostel segue quase os mesmos princípios do hotel, a diferença maior é, além do preço, a interação que você faz com outras pessoas que estão hospedadas, começando pelos quartos.

  • Disponibiliza quartos compartilhados, mas também podem ser encontrados quartos individuais ou com número bem menor de camas
  • Outras pessoas podem ficar no mesmo quarto que você, isso permite uma interação maior com pessoas de vários países ao mesmo tempo (mas também tem suas desvantagens)
  • Os banheiros normalmente contam com água quente (que às vezes esfria), e podem ser também compartilhados com todo o hostel ou com todo o quarto que você ficar

Muita gente acha que todo banheiro de hostel é sujo e porco, mas eu mesmo nunca passei por um banheiro que eu me recusasse ou sentisse nojo de usar, e olha que sou bem criterioso neste ponto. Cada um levando seus itens de higiene pessoal não haverá problemas.

  • Os hostels também oferecem, normalmente, café da manhã incluso na sua diária, que costumam ser fartos e muito bons
  • Almoço e jantar não são disponibilizados porém os albergues oferecem cozinha
  • Serviço de informação ao turista não são deixados de lado em hostels

Pelo contrário, eles podem funcionar até melhor em alguns casos. Já estive em hotéis onde o funcionário me respondeu que saía de longe para trabalhar ali todo dia, que não andava pelas redondezas e não conhecia o lugar, que só chegava para trabalhar e ia embora no final do dia. Já os funcionários de hostels, normalmente saem para conhecer a cidade, acompanham os hóspedes, tomam o transporte público, etc.

Não é de surpreender se eles souberem te informar melhor que em um hotel. Normalmente nos balcões de todo hostel há convites para bares e baladas nas proximidades, cupons de desconto, entradas gratuitas, mapas da cidade, mapa de pontos turísticos, mapa das linhas do metrô e de ônibus, etc.

  • Hostels possuem áreas de convivência

É possível encontrar hostels com sala de jogos, bar, internet wi-fi gratuita (normalmente) para os hóspedes e um monte de outras opções para passar o tempo depois de um dia cansativo de passeios.

  • Um hostel pode ser menos seguro que um hotel

Calma, não há motivos para pânico! A segurança de um hostel também não deixa a desejar.

No hostel que fiquei em Copacabana, haviam catracas na recepção. Cada hóspede criava uma senha ao fazer check-in e só digitando essa senha era possível passar pela catraca e adentrar nas dependências.

Em são paulo não havia a catraca, mas para entrar era preciso tocar o interfone para que o portão fosse aberto e em cima do portão havia uma câmera de segurança, que era visualizada o tempo todo por quem estava na recepção. Ao entrar, você dava de cara na recepção.

Acredito que o mais comum de acontecer é ter um objeto furtado – o que não aconteceu comigo.

Portanto, como hóspede, basta se precaver.

Haja como em qualquer outro lugar do mundo em que estivesse na companhia de pessoas desconhecidas.

Nada de bolsas abertas em cima ou ao pé da sua cama. Nada de celulares na tomada longe do seu campo de visão.

Basta fazer a sua parte e usar o locker pra deixar seus pertences de valor.

  • Hostels normalmente oferecem um locker ou armário para cada hóspede

Guarde seus pertences de valor e tranque com um cadeado (o cadeado não costumam fornecer, leve o seu).

Não vá perder as chaves do cadeado na rua hein! E mantenha as chaves sempre por perto.

  • Há menos privacidade no quarto

Às vezes pessoas chegam e saem do seu quarto no meio da madrugada, pois acabaram de chegar de uma balada (ou estão saindo para alguma).

Nessas horas vale o senso comum. Ninguém gosta de ser incomodado no meio da noite de sono, mas às vezes algumas pessoas podem ser surpreendentemente sem noção.

Levar na esportiva faz parte, mas se abusarem da sua boa vontade, pedir o silêncio e um pouco de cara feia pode ser o suficiente para o folgado desconfiar.

Falar com a administração do hostel também é super válido, os hostels de preocupam com a sua estadia e não querem que você vá embora odiando a experiência. Afinal, você está em um hostel, não na casa da mãe Joana.

  • Há menos regalias

Não há camareira para trocar suas roupas de cama. Normalmente você tem lençóis, travesseiro e uma manta quando chega, tudo limpinho. Se for ficar poucos dias, é só administrar.
Levante, arrume e dobre a sua roupa de cama antes de sair. Se ficar mais dias e precisar trocar as roupas de cama, basta acionar a administração do hostel e conversar.

O VEREDITO

Cada um tem suas vantagens e desvantagens. Não odeio os hotéis, apenas não os escolho como primeira opção por questões financeiras óbvias. Mas se este não é o seu caso, se hospedar em hotéis continua sendo uma opção super válida pelas vantagens que oferece, embora nunca vá te proporcionar as experiências de ficar em um hostel.

Quando que eu imaginaria me hospedar em Copacabana, pertinho da praia, por quase uma semana, por aproximados R$200,00 reais totais? Nunca! Never.

Isso era o que eu achava que precisaria desembolsar por dia! Vai orçar um hotel à beira da praia em Copacabana e volte aqui pra me contar, vai! 😉

O meu veredito é: não existe melhor nem pior. Existe aquele que se adequa melhor às suas necessidades e ao seu momento.

A minha recomendação é que você se hospede no dois para conhecer melhor cada um, e lembre de voltar aqui pra me contar! Haha.

 

ONDE E COMO ENCONTRAR OS HOSTELS

Normalmente eu procuro direto no Google.

Digito o nome da cidade para onde estou indo + hostels. Por exemplo “hostels em são paulo”.

Exibido os resultados, tento localizar as opções mais próximas de onde quero ficar.

Analiso as fotos, a localidade ao redor (pelo Google Maps) e as distâncias entre o Hostel e os principais pontos que desejo conhecer.

 

Não adianta ficar em um Hostel barato mas todo dia ter que pagar um táxi super caro pra ir e voltar.

Opções próximas de estações de metrô e paradas de ônibus podem facilitar muito a sua vida, se atente à isso.

Se você quiser um meio mais fácil de localizar os hostels, existem sites que reúnem os melhores deles, já com notas e avaliações de outros hóspedes – o que vai facilitar muito o seu processo de escolha.

Eu separei uma lista com os melhores e mais famosos pra você. Aqui estão eles:

HOSTEL WORLD

Use o Hostel World para pesquisar os melhores albergues/hostels em todos os destinos no mundo.

Além de fornecer informações sobre os preços praticados em cada unidade, o portal permite ainda iniciar a reserva. Os consumidores também pedem visualizar as críticas de antigos hóspedes.

HOSTELBOOKERS

BOOKING.COM

HOSPEDAGEM EM CAMPINGS

Se você juntou o seu rico dinheirinho para uma viagem de carro, certamente vai querer que ele dure por muito tempo e ainda leve você a lugares espetaculares, não é mesmo?!

A vida na estrada por mais simples e econômica que possa ser ainda tem custos fixos: combustível, alimentação, acomodação, seguro-saúde e por aí vai.

Se você costuma viajar em seu próprio carro, que tal considerar a possibilidade de se hospedar em campings? Viajar de carro pode ser uma opção econômica, uma vez que o próprio carro pode ser tornar o seu local de acomodação ou facilitar a sua hospedagem.

Ao viajar de carro, a acomodação talvez possa ser o custo que mais varia dentro do seu orçamento, isso porque depende muito do seu nível de conforto, da localização, da alta ou baixa temporada e ás vezes até do seu humor. Sim, porque tem dias que você merece algo mais especial e não há nada de errado nisso!

Como economizar:

DORMINDO EM BARRACA

Considere levar uma barraca na sua próxima viagem. Campings são excelentes lugares, mais baratos e não têm nada a ver com aquela imagem que só maconheiro e farofeiro acampa. Isso é conversa.

DORMINDO DENTRO DO CARRO

Não tem barraca? No problem.

Se você possui um veículo e é daqueles que adora um botar o pé na estrada, procure organizar o espaço interno do seu veículo para que você possa dormir confortavelmente dentro do carro, assim você tem a possibilidade de eliminar 100% dos custos com a hospedagem.

Até mesmo simples adaptações podem ser o suficiente.

Veja aqui uma entrevista do Outsiders Brazil com a Rosely, onde ela mostra as adaptações que ela e o marido fizeram para viajar de carro até o Alasca dormindo dentro do veículo.

Parece loucura não é mesmo?!

ACAMPANDO EM LUGARES GRATUITOS

Procure por lugares públicos reservados e que permitem acampar de graça. Nas primeiras vezes você ficará com receio, mas aos poucos vai perceber que não é perigoso como imagina. Para se sentir mais seguro pergunte para as pessoas locais se tem algum problema, isso ajudará a dormir melhor. Nesta entrevista aqui a Julie conta como viajou o mundo de bicicleta acampando pela estrada.

MAPA DE CAMPINGS DA AMÉRICA DO SUL
campings

E pra quem acha que são poucas as opções de camping, nesse link você vai encontrar um mapa com os melhores campings de toda a América do Sul. O Brasil é o país que reúne a maior quantidade deles, então, sem desculpas para viajar agora!

É sempre bom ligar antes para os campings desejados e verificar se eles estão funcionando e abertos na época do ano que você pretender visitá-lo. Também é válido perguntar sobre a estrutura, lotação, se tem internet wi-fi, etc. Aproveite para tirar todas as suas dúvidas antes de partir rumo ao desconhecido e evitar surpresas desagradáveis.

Mapa de Campings pela América do Sul http://guiadecampings.com.br

VANTAGENS DE SE HOSPEDAR EM UM CAMPING

  • Maior contato direto com a natureza: dá pra curtir o canto dos pássaros, apreciar um belo nascer ou pôr do sol e um céu com milhões de estrelas
  • Uso de trajes habituais que te deixam super à vontade no dia-a-dia: bermuda, shorts e chinelinhos de dedo
  • Conhece pessoas de regiões e hábitos diferentes
  • Troca informações e experiências num ambiente de cordialidade e colaboração mútua
  • Novas amizades se torna algo quase que rotineiro, sem distinguir raça, cor ou classe social
  • Acampando com a família você estreita e reforça os laços familiares num ambiente saudável, unindo pais e filhos em torno de atividades e brincadeiras fora da rotina diária
  • Ideal para repassar, através de exemplos, noções de respeito à natureza, ao meio ambiente e convivência social
  • Acampando você faz turismo e conhece o seu próprio Brasil, desde locais badalados até praias e recantos com pouca presença do homem, de forma extremamente econômica, sem necessidade de reservas (salvo carnaval e reveillon) e sem ficar atrelado a pacotes turísticos engessados (excursões)

Há condições de acampar do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, pelo litoral, utilizando somente áreas organizadas, com distâncias médias de 500 km entre um camping e outro, o que permite viajar apenas durante o dia, que é mais bonito e mais seguro.

DESVANTAGENS DE SE HOSPEDAR EM UM CAMPING

Como tudo na vida, para acampar há que se conscientizar que nem tudo são flores. Inconvenientes estão sujeitos a ocorrer, portanto, fique atento:

  • MosquitosNão são em todos os lugares que eles incomodam, mas podem aparecer principalmente ao anoitecer. Previna-se procurando manter a barraca fechada nesse período, use repelente para a pele (de preferência sob a forma de creme, de efeito mais duradouro) e também daqueles que se liga em tomadas.Um ventilador também é muito útil, pois não só ameniza o calor como serve para afugentar os insetos.
  • Nem sempre os dias são lindos e as noites de céu estrelado.Sempre existe a possibilidade de chuvas e pode ocorrer infiltração de água na barraca, o que não é nada agradável. É possível que seja devido à qualidade do equipamento, mas geralmente o motivo é por descuidos na montagem ou escolha de local inadequado. Tome precauções.
  • Saiba que em datas especiais como reveillon, carnaval e semana santa, alguns campings costumam lotar.Nisso eventualmente algumas pessoas se portam de modo inconveniente, geralmente por excesso alcoólico. Também o serviço de limpeza sofre as consequências da lotação.A dica é dentro do possível acampar fora dessas datas, quando tudo é mais tranquilo e limpo.No mais, se essas coisas desagradáveis acontecer, ter um pouco de jogo de cintura e levar na esportiva pode ajudar a não estragar o passeio.

VALE A PENA?

Especialmente pela América do Sul, acampar normalmente é fácil e sem dores de cabeça. É sem dúvida uma ótima opção para quem gosta de natureza, trekking e aventura, ótimo principalmente para quem vai fazer um mochilão. Mas também vale a pena experimentar se você está em casal, com crianças, família, e principalmente se estiver viajando com a sua turma de amigos.

Ainda sobre a hospedagem, eu me certifiquei de incluir abaixo 3 bônus que vão diminuir os seus gastos com hospedagem ainda mais durante a sua viagem. Continue lendo!

BÔNUS NR #1: DURMA NO AEROPORTO

What? Tá falando sério?

Claro que sim!

Quem busca passagens baratas de avião muitas vezes tem de estar disposto a fazer conexões de muitas horas nos aeroportos durante a noite.

Além disso, se você comprou a sua passagem com descontão naquela promoção, as chances do seu vôo ser no meio da madrugada são bem grandes.

Em qualquer dos casos, ao invés de pagar pra dormir um hotel próximo ou ficar rodando no Freeshop que nem um zumbi (isso quando todas as lojas não se fecham), aprenda a dormir no aeroporto.

Mas onde? No chão?

É.

Por que não?

Muita gente faz isso, mas temos as nossas ressalvas.

Antes de mais nada, dormir em aeroportos não é para os fracos. Se você é daqueles que fica ultra-mega-mal-humorado depois de uma noite mal dormida e não tem o espírito aventureiro viajante, então reconsidere a opção de dormir no aeroporto.

DISPOSIÇÃO E BOM-HUMOR

Dependendo do aeroporto em que você estiver, pode haver muito trânsito de pessoas pra lá e pra cá, funcionários limpando, anúncios de vôos nos alto falantes, outros passageiros conversando, etc. Com frequência o seu conforto será pouco e você vai acabar tendo que dormir em lugares desconfortáveis do saguão ou da sala de embarque.

Disposição e bom-humor são requisitos básicos para encarar essa aventura.

Não recomendo essa prática na companhia de crianças ou idosos, pois o conforto pra eles certamente será mínimo.

 

BÔNUS Nr #2: VIAJE À NOITE E ECONOMIZE UMA DIÁRIA

Se a sua vigem vai durar pelo menos 6 horas ou mais, sempre que possível, programe suas viagens de avião, trem ou ônibus para o período noturno, assim você passa uma noite dormindo no veículo e economiza uma diária de hotel.

Se a sua viagem for pela Europa, por exemplo, passagens de trem são bastante comuns (além de econômicas) e podem acrescentar muito charme ao seu passeio.

Essa é uma dica sobre hospedagem e transporte, ao mesmo tempo!

 

Bom, chegamos ao fim de todas as dicas de como se hospedar gastando pouco.

 

Se você curtiu essas informações, compartilhe este post e deixe o seu comentário logo abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *